Colheita 2018: O que devemos esperar?

A colheita das uvas acabam de terminar em todas as regiões italianas, e chegou a hora de fazer os primeiros balanços sobre os vinhos que iremos esperar para a safra 2018.

Em geral, a produção foi menor do que em 2017, mas ao visitar os vários produtores da Itália, ouvimos diferentes opiniões e expectativas relacionadas a um comportamento climático muito diferente entre as várias regiões e até mesmo dentro de uma mesma região.

No norte da Itália, nas regiões de Veneto, Friuli Venezia Giulia e Trentino Alto Adige, a temporada de 2018 foi excepcional, principalmente para os vinhos brancos.

O verão foi fresco, com boa escursão térmica e com chuvas pouco persistentes, o que permitiu que as uvas desenvolvessem uma grande carga aromática e um excelente buquê.

Na Emilia Romagna, por outro lado, foi muito quente todo o verão, o que permitiu a proliferação de muitas pragas que limitaram a produção, principalmente nas produções com agricultura biodinâmica.

Mesmo na Toscana, o verão foi muito quente, mas em algumas áreas, como na Maremma, por exemplo, o vento do litoral manteve as vinhas secas, favorecendo uma excelente maturação das uvas. Em Montalcino, alguns produtores, sofreram mais do que outros, por causa das altas temperaturas, aqueles que tiveram os vinhedos na parte inferior tiveram muitos problemas de pragas e doenças enquanto aqueles que os tiveram em altitudes maiores tiveram uma excelente produção. No vale do Chianti enfim, as fortes chuvas e o granizo danificaram alguns produtores, enquanto outros não foram atingidos.

No sul, foi registrada situação mais complicada. Além de um verão muito chuvoso que comprometeu o amadurecimento das uvas, pouco antes da colheita, além de temporais com fortes chuvas houve também queda de granizo que danificou muitos vinhedos.

Podemos dizer que 2018 será um grande ano para os brancos italianos, principalmente para as regiões mais importantes, como Friuli e Alto Adige, enquanto para os tintos a qualidade não será a mesma para todas as áreas. Em todos os casos, em geral, foi um bom ano, apesar do tempo não respeitar as regras sazonais, mas sobre isso iremos falar novamente.

Salute!

Alessandro Moretti.

Deixe um comentário