Por que esperar mais um ano para beber um espumante?

As festas acabaram e o que deixamos para trás são lembranças comemorativas brindando no Natal e Ano Novo com uma taça de vinho espumante. Mas porque não continuar a beber um espumante durante o ano todo, mesmo sem ter que comemorar alguma coisa, mas simplesmente pelo prazer de beber um vinho que pode acompanhar as nossas refeições diárias?

O vinho espumante, na verdade, é o único tipo de vinho que pode acompanhar carne e peixe, seja um prato leve ou estruturado, um macarrão com tomate ou com molho branco, uma pizza ou uma torta saborosa. A maioria de nós associamos o vinho espumante a uma ocasião especial, um momento de comemoração ou diversão por causa da imagem da rolha estourando usada para indicar estes momentos e poucos sabem que o vinho espumante pode ter tanto a leveza e o frescor de um branco quanto a complexidade e estrutura de um grande tinto.

O vinho espumante é o vinho que harmoniza com o maior número de pratos, porque a sua acidez inicial devido à sua efervescência, limpa o nosso paladar de qualquer sensação que a comida nos transmite, a oleosidade, a untuosidade, o ressecamento e a suculência. O único prato que o vinho espumante não consegue harmonizar é aquele ao qual está associado com mais frequência, a sobremesa. Geralmente, se você pensa em um aniversário, um casamento ou qualquer almoço ou jantar comemorativo, o vinho espumante é sempre servido no final junto com a sobremesa para brindar ao evento.

Na verdade, se olharmos com cuidado a combinação, podemos ver que, quando bebemos um vinho espumante com uma sobremesa o contraste gerado entre a sensação de extrema doçura, devida ao alto teor de açúcar na sobremesa, e a extrema acidez do dióxido de carbono libertado pela efervescência do vinho cria um verdadeiro choque no nosso paladar.

Exceção entre os vinhos espumantes é o Moscatel ou Moscato di Asti na Italia que pela sua doçura marcante, é o unico vinho espumante que harmoniza com as sobremesa mas que não harmoniza com nenhu outro prato.

Como os produtores de Champagne patentearam o nome Método Champenoise há muitos anos, na Itália, é chamado de Método Clássico, e também na Itália, como na França, se produzem excelentes vinhos espumantes reconhecidos em todo o mundo ao par dos grandes Champagnes. Entre os nomes mais famosos do Método Clássico italianos mencionamos o Franciacorta (Lombardia), o Trento Talento (Trentino) e os grandes vinhos espumantes do Alto Adige em quanto o espumante italiano produzido com metodo Charmat mais reconhecido no mundo, é o famoso Prosecco.

Deixo a explicação das diferencias entre Metodo Champenoise ou Classico e Metodo Charmat para um proximo blog, até lá Vocês podem se divertir escolhendo o vinho espumante que gostam mais para acompanhar a sua refeição diaria ou para uma ocasião especial, não espere até Dezembro próximo para deliciar o seu paladar com um vinho que pode acompanhá-lo ao longo do ano.

Salute!

Alessandro Moretti.

Deixe um comentário