Blog

Verona abrigará o maior museu do vinho e centro de visitantes da Itália

Os amantes do vinho terão em breve mais uma boa razão para visitar a cidade italiana de Verona.

Conhecida pelos entusiastas do vinho por uma das feiras anuais de vinho mais conhecidas do mundo, a Vinitaly, Verona está prestes a sediar um museu do vinho polifuncional e um centro de visitantes que promete rivalizar com empreendimentos semelhantes em Bordeaux e no Porto.

O projeto Museo del Vino (MuVin) foi apresentado oficialmente na Vinitaly no início deste mês, com o aval do ministro italiano do turismo, Massimo Garavaglia, Roberta Garibaldi, da agência nacional de turismo da Itália, e do professor Diego Begalli, diretor do departamento de economia empresarial da Universidade de Verona.

“Estive em Edimburgo, na Escócia, anos atrás, e lá tive a oportunidade de visitar a popular Scotch Whisky Experience”, disse Enrico Corsi, do Veneto Regional Council, que promoveu e desenvolveu a ideia por trás do projeto. “Eu me perguntava por que algo semelhante não poderia ser feito com vinho na Itália. Percebi que não tínhamos nada comparável em nosso país, além de um monte de iniciativas privadas menores.’

Uma visita a La Cité du Vin de Bordeaux reforçou ainda mais a visão de Corsi: ‘La Cité du Vin é um enorme recurso econômico para a região de Bordeaux, então decidi trabalhar para colocar essa ideia em prática.’

O projeto MuVin resultante é um ambicioso museu, centro de visitantes e exposições de € 50 milhões que será localizado na Gallerie Mercatli de Verona. O local fica em frente ao bairro de exposições da cidade, que fica ativo o ano todo e abriga vários shows populares, incluindo a própria Vinitaly.

“Claramente, o museu contará com o grande número de pessoas que já visitam a área, incluindo cerca de 32 milhões de turistas que vão ao Lago de Garda todos os anos, bem como 3,8 milhões que visitam Verona, além de tudo o que acontece na região”, disse. Corsi. “Desnecessário dizer que as inúmeras exposições de Verona também nos beneficiarão com visitantes adicionais. Este será o maior museu dedicado ao vinho da Itália, será o principal centro de enoturismo do país e também terá alcance internacional.’

A Gallerie Mercatli, que já abrigou o mercado de horticultura de Verona, cobre uma área de quase 20.000 m². A área museológica do MuVin terá cerca de 5.400 m2, com a restante superfície dedicada a atividades complementares. De facto, o MuVin contará também com um “caminho” experiencial de cerca de 5.800m2 que levará os visitantes numa viagem de descoberta, abordando temas como a história do vinho, a viticultura, a produção de vinho, o impacto das alterações climáticas na viticultura e e harmonização de alimentos.

A estrutura também oferecerá atividades educativas, com os amantes do vinho convidados a aprender técnicas de degustação de vinhos, além de realizar visitas virtuais a vinícolas e vinhedos tombados pela UNESCO em salas de realidade aumentada.

O complexo MuVin abrigará exposições temporárias de vinhos italianos e internacionais, além de iniciativas culturais – todas com um vinhedo – como arte contemporânea, música, literatura e cinema.

“Haverá também um mercado de vinhos e alimentos, restaurantes, uma grande adega, um centro de conferências e uma sala de leilões de vinhos”, acrescentou Corsi, “bem como uma WebTV e uma sala para mostrar outros importantes produtos italianos que os entusiastas do vinho adoram, como vinagre, aguardente e azeite.”

O MuVin deve estar pronto até 2026, quando o norte da Itália sediará os próximos Jogos Olímpicos de Inverno.

Jacopo Mazzeo
3 de maio de 2022
Fonte: Decanter

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.